A arquitetura no cinema e no audiovisual - Munó

Blog

Nosso diário quinzenal

A arquitetura no cinema e no audiovisual

O cinema e a arquitetura se relacionam por serem  formas artísticas e práticas espaciais que constroem o espaço, portanto a  subjetividade que se forma a partir do cruzamento do espaço concebido, percebido, e vivido é resultado das artes que representam e incorporam o espectador. Na ideia concebida do espaço pelo cinema vemos, além da prática arquitetônica, uma prática urbana, que a partir do  processo de construção de vistas urbanas, vai constantemente reinventando o espaço.

Confira aqui alguns curta metragens e longa metragens que nossa equipe selecionou para vocês assistirem e relaxar, e claro refletir um pouco sobre arquitetura e urbanismo!

 

 

FILMES E DOCUMENTÁRIOS

 

1. “Urbanized”

O filme Urbanized de Gary Hustwit traz uma discussão global sobre o futuro das cidades.

Quem são aqueles que dão formação as nossas cidades? De que forma eles contribuem? Ao contrário de muitos processos projetuais em que apenas uma pessoa ou um específico grupo de pessoas participa desse processo, as cidades são um resultado de vários colaboradores que contribuem para as diversas mudanças no contexto urbano, incluindo os cidadãos ativistas que geram um grande impacto na melhoria das cidades onde vivem.  

O documentário explora projetos de desenho urbano em todo o mundo abordando o desenvolvimento  dos problemas e das estratégias por trás desses projetos, através da visão de alguns dos arquitetos, planejadores, políticos, construtores e pensadores do mundo. Os desafios de habitação como a mobilidade, o espaço público, a política cidadã, o desenvolvimento econômico e a política ambiental estão se tornando cada vez mais preocupações universais, apesar de grande parte do diálogo sobre estas questões estarem desconectadas do domínio  público.

 

 

2. “Edifício Master”

Dirigido pelo cineasta brasileiro Eduardo CoutinhoEdifício Master documentário de 2002, mostra ao espectador um novo olhar sobre Copacabana, através do cotidiano dos moradores do edifício retratando suas identidades, particularidades, condições e formas de vida.

Copacabana, um dos cartões postais mais famosos do Rio de Janeiro, mas no documentário a bela praia e suas calçadas monumentais ficam em segundo plano. O protagonismo de Edifício Master surge no cotidiano dos residentes do edifício. Com 12 pavimentos e 23 apartamentos por andar, o edifício, onde moram cerca de 500 pessoas, é o cenário dos 37 moradores entrevistados por Coutinho.

Filmado no interior dos apartamentos, sem a presença de cenas exteriores e com o foco na narrativa dos residentes, o diretor nos proporciona inúmeras imagens subjetivas do mundo. O olhar exteriorizado dos personagens se contrapõe ao olhar do espectador.

O cineasta, um dos documentaristas mais importantes de sua geração, é conhecido pelo modo direto que produzia seus filmes, sem a utilização de muitos efeitos. A forma genuína como o diretor retratava a vida nos traz de volta um olhar mais humano e esperançoso sobre o que entendemos a propósito de nossos sentimentos e emoções.

 

 

3.  Arquitetura, A Transformação do Espaço

“Arquitetura, A Transformação do Espaço”, é uma produção nacional dirigida por Walter Lima Jr. O filme é dividido em três movimentos e nos apresenta uma síntese histórica da arquitetura brasileira, com depoimentos de grandes ícones como Burle Marx, Lina Bo Bardi e Gregori Warchavchik e de outros estudantes e anônimos que concebem uma outra perspectiva sobre os espaços e da Arquitetura.

O primeiro movimento faz um resumo da história da arquitetura brasileira, com um depoimento de Gregori Warchavchik que é ilustrado por obras que abordam o período da arquitetura colonial até o Ministério da Educação e Saúde. Em diferentes cenas, o diretor nos apresenta construções de diversos estilos arquitetônicos presentes em Olinda, Petrópolis e Rio de Janeiro.

O segundo movimento consiste na fala de arquitetos sobre a crise na profissão, incluindo depoimentos de Lina Bo Bardi e as expectativas de um estudante de arquitetura.

No terceiro movimento, Burle Marx critica a arquitetura e a falta de controle urbanístico de São Paulo, seguido por depoimentos de Lúcio Costa e de habitantes de distintas cidades brasileiras que refletem sobre os espaços que habitam.

 

 

4. Medianeras

 

 

O filme “Medianeras”  é uma obra do diretor argentino Gustavo Taretto, produzida em 2011. A narrativa do filme é construída sobre quatro pilares:

1. A cidade de Buenos Aires, caótica, imprevisível mas também atrativa

2. A solidão urbana, a convivência diária com desconhecidos perfeitos, que são indiferentes entre si

3. A incomunicação, a tecnologia, pensada para nos conectar, paradoxalmente nos separa

4. a busca do amor, a dificuldade de duas pessoas que vivem na mesma quadra e são “almas gêmeas” se encontrarem.

Os diálogos de “Medianeras”  nos apresenta um pouco sobre o cenário urbanístico de Buenos Aires, que refletem sobre o papel da Arquitetura no cotidiano das pessoas.

 

 

5. Metrópolis

 

No Filme Metrópolis, de Fritz Lang. a arquitetura recebe um valor significativo na cidade, seja nas diferenças discrepantes existentes entre a cidade dos dominantes com a do submundo, como também em toda a sua simbologia e influências de arquitetos teóricos modernistas.

Também se faz evidente durante o filme que a relação de poder é muito forte, o que posteriormente irá caracterizar uma segregação social e urbana na vida dos operários que vivem e trabalham no subterrâneo da cidade utópica que é cenário do filme .

 

 

 

CURTA METRAGENS E VÍDEOS

 

6. The Glass House

Vídeo: The Glass House / Workshop “filming architecture” | ArchDaily Brasil

 

Em um workshop realizado com alunos da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Mackenzie, em São Paulo, com mentoria de  Gabriel Kogan e Pedro Kok, o grupo passou um dia na Casa de Vidro, que foi projetada pela renomada arquiteta Lina Bo Bardi. O grupo de alunos participou de uma introdução à cinematografia da arquitetura. Seguindo leituras teóricas e técnicas conduzidos pelos arquitetos mentores.

A ideia era recriar uma icônica fotografia da arquiteta na casa – agora com imagens em movimento – explorando questões de representação, transparência, interior/exterior, modos de viver e a tectônica dessa obra prima da arquitetura.

 

 

 

 

 

 

7. BIOFILIA, em busca da conexão| natureza na arquitetura+neuroarquitetura

 

 

O documentário curta metragem que contou com depoimentos dos renomados Araquém Alcantara, Professor Christian Dunker, Hans Donner, Professora Vera Lucia dos Santos, Arquiteto Guilherme Takeda, Arquiteta Bia Rafaelli, paisagista Benedito Abbud e o arquiteto Eduardo Cabral entre outras importantes participações apresenta a integração das cidades com o meio ambiente e a inclusão de elementos naturais nos projetos arquitetônicos .
“Muito mais do que usar a palavra Biofilia e mostrar a aplicabilidade na arquitetura, é mais interessante entender a origem desse movimento, da nossa necessidade de retorno a essa conexão com a natureza, de onde está vindo e porque isto está sendo apontado como terapêutico, não só por arquitetos, mas por neurocientistas, psiquiatras e psicólogos”, explica Jean Bergerot, Diretor e produtor do documentário . Gravado em maio de 2019, em São Paulo, Campinas-SP e Pirenópolis- GO.

 

 

 

 

 

 

 

 

8. ROTA DE FUGA

O documentárioRota de Fuga, foi premiado com o Troféu Cine B, no Festival Curta Brasília.

Dirigido pelo veterano do Instituto Criar, Bruno Bralfperr, o vídeo retrata o dia a dia de diversos personagens do trânsito de São Paulo. A produção foi exibida em 10 sessões do projeto CINE B, que realiza sessões itinerantes pela cidade de São Paulo e conta com o apoio da Brazucah Produções.Fundado em 2003, o Instituto Criar de TV, Cinema e Novas Mídias tem como missão promover o desenvolvimento profissional, sociocultural e pessoal de jovens por meio do audiovisual.

 

 

 

 

 

9. The race to create the perfect city

As cidades são um universo por si só. O espaço construído sempre foi um reflexo dos medos, anseios e ideais de seus habitantes, e é, como tal, uma das primeiras e mais poderosas formas de expressão da humanidade.

“The Perfect City”, uma animação criada pelo designer Al Boardman para a série da BBC “Designed” . A série retrata a busca do “ideal” e do ‘perfeito’ no projeto do espaço urbano ao longo da história da humanidade. Narrado e dirigido pelo renomado crítico de arquitetura e escritor Jonathan Glancey, o vídeo mostra em apenas 2 minutos alguns dos principais exemplos do planejamento urbano na história da humanidade.

LINK DA ANIMAÇÃO:

https://www.bbc.com/culture/article/20170929-the-race-to-create-the-perfect-city?utm_medium=website&utm_source=archdaily.com.br